quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Colégio St. James - 15 anos


A Pubblicità se orgulha de fazer parte da produção deste emocionante VT, que foi apresentado no evento em comemoração aos 15 anos do Colégio St. James.


terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quanto custaram alguns dos logos mais conhecidos?

Normalmente as pessoas não fazem ideia de quanto se paga por grandes marcas. E por incrível que pareça, algumas delas não custaram absolutamente nada. Recentemente, o site StockLogos publicou uma lista dos principais marcas globais e seus respectivos custos na criação e produção.

Pepsi

Investimento de $1,000,000 e o projeto é assinado por Arnell Group em 2008.
Identidade da Pepsi custou um milhão de dólares

Enron

Investimento de $33,000 e o projeto é assinado por Paul Rand nos anos 90.

O desenvolvimento do logotipo da Enron custou $33,000

NeXT

Investimento de $100,000 e o projeto é assinado por Paul Rand em 1986.
O logotipo da NeXT custou $100,000

Olimpíadas de Londres 2012

Investimento de £400,000 e o projeto é assinado por Wolf Ollins.
O logotipo das Olimpíadas de Londres 2012 custou £400,000

Jogos de Gasgow 2014

Investimento de £95,000 e o projeto é assinado por Marque Agency em 2010.
O logotipo dos jogos de Glasgow custou £95,000

Melbourne

Investimento de $240,000 e o projeto é assinado por Landor Associates em 2009.

O logotipo de Melbourne custou $240,000Nike

Investimento de $35 e o projeto é assinado por Carolyn Davidson em 1971.
O logotipo da Nike custou $35

Twitter

Investimento de $15 e o projeto é assinado por Simon Oxley em 2009.
O logotipo do twitter custou $15

Google

Investimento de $0 e o projeto é assinado por Ruth Kedar em 1999.
O logotipo do Google custou $0

Coca-Cola

Investimento de $0 e o projeto é assinado por Frank Mason Ribinson em 1885.
O logotipo da Coca-Cola custou $0

BBC

Investimento de $ 1,800,000 e o projeto é assinado por Martin Lambie-Nairn em 1997.
O logotipo da BBC custou $1,800,000

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Anúncio impresso animado

Está cada vez mais frequente a relação entre publicidade on e offline e materiais publicitários para iPad estão cada vez mais comuns. Com objetivo de tornar seu anúncio em revista mais atraente e “viva”, a Lexus criou uma tecnologia batizada de Cineprint.

O anúncio veiculado na edição digital do iPad pode ser sincronizado com a versão impressa. O usuário dá o play no tablet e coloca embaixo da página e vê a “mágica” acontecer.

 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Red Bull: Uma aula de estratégia

Já ouviram aquela frase durante os comerciais: “RedBull te dá asas”?
Entretanto, fazendo uma análise mais detalhada sobre a marca e seu posicionamento no mercado, nos convencemos de que a Red Bull pode nos dar mais do que asas, mas também uma (ótima) aula de marketing.
Já nasceu voando

A RedBull nasceu em 1987, e enfrentou algumas dificuldades para conseguir lançar seu produto, conhecido como o primeiro ‘energy drink’.
Após descobrir um líquido que continha substâncias estimulantes, o austríaco Dieteich Mateschitz precisou provar que ele não oferecia nenhum risco à saúde, mesmo contendo 3 vezes mais cafeína do que um refrigerante comum.
Apesar dessas dificuldades, o RedBull foi lançado, e no primeiro ano no mercado ultrapassou a marca de 1 milhão de latinhas vendidas, superando qualquer expectativa.
Não preciso dizer que o RedBull é, absolutamente, líder no segmento em que atua, somando 70% de market share global. E olha que ele possui concorrentes de respeito – como o Burn, da Coca-Cola.
Mas então por quê raios a RedBull tem tanta hegemonia no mercado?

1) A fórmula do RedBull não é patenteada, com isso abriu espaço e possibilidades para a concorrência de grandes multinacionais nos últimos anos;
2) Mesmo após 25 anos de lançamento de seu carro-chefe, o portfólio da RedBull ainda é pequeno, possuindo apenas 4 produtos, todos na categoria ‘energy drink’.
Estes dois pontos anteriores já seriam suficientes para comprometer a participação de mercado da marca, porém a sua estratégia agressiva, inovadora e bem direcionada ao target faz a RedBull se manter forte e exemplar no segmento.
Investimento, criatividade e planejamento. Esta é a principal fórmula do sucesso da RedBull, mais do que a fórmula de composição do drink.
O primeiro passo dado foi diferenciar seu produto das demais bebidas enlatadas, contratando uma empresa de alumínio para fabricar exclusivamente suas latas, que foram desenvolvidas num formato diferente e menor do que se utilizava na época. Isto já proporcionou um destaque nas prateleiras.
RedBull te dá asas. Um slogan como este não se esquece tão fácil. A empresa atentou-se para a veiculação de suas propagandas de forma padronizada para todas as agências, nos 140 países onde atua. No Brasil, a publicidade é feita pela Agência Loducca desde fevereiro de 2009.
Mesmo com o belo trabalho de propaganda feito na mídia e facilidade de identificação do seu público (que é muito bem definido), o principal foco do marketing da RedBull é o Sampling, que consiste no patrocínio e criação de eventos voltados para o seu público e para a mídia de uma forma mais direcionada.
Com esta estratégia de investimento em Sampling a RedBull consegue, não somente levar seu produto até o consumidor, mas trazer o seu público consumidor até onde o produto (marca) está. Um grande exemplo foi o RedBull X Fighters, onde foram reunidos os melhores motociclistas free-style no sambódromo do Rio de Janeiro. A galera dos esportes radicais marcou presença, lá.
Além dos esforços em publicidade feitos através das mídias e do Sampling, a RedBull também estudou cuidadosamente, praças para a distribuição experimental do energético, onde seu público-alvo teve a oportunidade de comprovar sua eficiência como energético. Isso envolveu desde jovens que trabalhavam, estudavam e que precisavam desempenhar bem o seu papel, até o pessoal fã de baladas.
Outro processo importante na definição do posicionamento da RedBull foi a identificação do comportamento do seu consumidor.
Aqui entendemos o slogan usado. Ele atinge diretamente jovens dinâmicos, ativos e despojados, que têm um estilo de vida agitado, seja pelo trabalho, estudo, seja porque viaja muito, seja porque malha, ou qualquer outra atividade que exija uma carga extra de energia. Por este motivo a RedBull induz que este público precisa das ‘asas’ proporcionadas pelo energético, que tem sim sua eficiência.
Fez o dever de casa
 


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Em busca do público feminino na Rede Xbox Live

Se o Xbox 360 (e outros consoles) é ideal para se comunicar com caras que jogam “Call of Duty” sem parar, parece que também é um bom lugar para falar com o público feminino.
A multinacional da da indústria da beleza lançou um aplicativo destinado às mulheres, com dicas, tutoriais em vídeo, e-commerce, etc. O conteúdo em si não tem nada de diferente, o destaque é mesmo a plataforma.
Segundo a Microsoft, 40% de seus 20 milhões de usuários da Xbox Live nos Estados Unidos são mulheres. Um número surpreendente.
Confira o vídeo.
Via: Brainstorm9